Kaya Scodelario Brasil » Arquivo » Entrevista para a WWD
Postado por Larissa


Quando ela assinou para estrelar em ‘Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar‘, Kaya Scodelario sabia que ela teria que se acalmar em cenas com Johnny Depp – mas foi o seu alter ego Jack Sparrow que realmente a intimidou.

“Eu já tinha conhecido Johnny (antes de começar a gravar), e eu estava tipo, ‘OK, agora isso já está fora do caminho.” Mas no segundo em que ele pisou no set vestido como Jack Sparrow, eu fiquei louca”, confessa a atriz, mais conhecida pela sua performance  no drama adolescente britânico ‘Skins‘ e como Teresa em ‘The Maze Runner‘, franquia de filmes de ficção científica. “Eu me tornei uma criança novamente. Eu só o assistia durante as tomadas, e me esquecia de dizer minhas falas, ou eu riria reagindo a ele. Há algo incrivelmente mágico sobre ele”.

Ela rapidamente se recompôs para entregar uma performance atraente como Carina, a heroína cientista enredada na última aventura de Sparrow, uma personagem que Scodelario apreciaou mais por seu cérebro do que sua por sua parte de heroína de filmes de ação. “Eu nunca cheguei a interpretar uma intelectual antes”, ela revela. “Especificamente, alguém que acredita na ciência, e que vê a sua própria jornada pessoal como a coisa mais importante do mundo”.

“Ela é tão determinada, tão ambiciosa e é tão forte em face de tudo”, acrescenta Scodelario. “Ela realmente me inspira. Então, saber que talvez haja uma menina de 14 anos em algum lugar que vai assistir ao filme e vai pensar, ‘Astronomia pode ser legal – talvez eu possa estudar isso,’ é o que é maravilhoso em um filme desta escala”.

Inspirar as mulheres está em sua mente fora das telas também: Uma auto-descrita atriz “indie”, ela espera que seus papéis em blockbusters como “Piratas“, em última instância, permitirá lançar seus próprios projetos criativos femininos.

“Eu tenho trabalhado por 10 anos, e trabalhei com diretoras apenas duas vezes – isso é realmente decepcionante”, diz ela. “Eu quero produzir algo onde eu vou encontrar uma diretora e escritora para que possamos colaborar juntas, e vamos realmente contar a história de uma mulher que precisa ser contada, e pode ser contada. É emocionante saber que fazer um filme como esse (Piratas) pode me dar a possibilidade de financiar algo assim”.
Relaxando em um vestido recortado de Simone Rocha (“Eu meio que senti que tinha uma vibe de pirata nele”, ela confia), Scodelario diz que mesmo que ela tenha se “acostumado” com o tapete vermelho, demorou um pouco para desenvolver seu próprio senso de estilo.

“Eu realmente tenho muita influência do estilo londrino”, diz ela, de seus designers favoritos Alexander McQueen, Julien Macdonald e Vivienne Westwood. “Eu amo esse estilo edgy, rock and roll punk que fazemos tão bem na Inglaterra. Mas meu estilo se adapta a onde eu estou. Quando estou em Los Angeles, de repente eu fico tipo, ‘Eu preciso de uma sandália, e eu preciso de um vestido bege e de algumas flores no meu cabelo”.

Ela ficou menos apaixonada pelo figurino inspirado no século XVII da sua personagem, muitas vezes encharcada durante a aventura em alto-mar. “Eu queria realmente estar no que ela estaria vestindo – é importante para mim reagir como o personagem reagiria”, ela explica. “Mas é muito difícil: o espartilho tem que ser extremamente apertado; As camadas do vestido variam muito. Então, uma vez que você se molha, torna-se (o vestido) incrivelmente pesado”.

“Houve alguns momentos em que eu pensei, ‘Eu nunca vou usar um espartilho em um filme nunca mais!'”, Ela ri. “Eu costumava fazer meu marido [o ator Benjamin Walker] secretamente folga-lo nas costas na hora do almoço para que eu pudesse comer massa”.

Fote: WWD

Deixe um comentário
Voltar ao início