Kaya Scodelario Brasil » Arquivo » Elenco de ‘Prova de Fogo’ comenta sobre as cenas de terror do filme
Postado por Lais


Em entrevista ao The Hollywood Reporter, Wes Ball, Kaya e seus colegas de elenco, comentam sobre a diversidade de temas em ‘Prova de Fogo’. Confira abaixo a entrevista traduzida por nossa equipe.

“Nós estamos tão presos a nossos costumes como uma sociedade, especialmente em Hollywood,” disse Kaya Scodelario na premiere do novo sucesso adolescente. “Eu gosto que estamos fazendo algo diferente, e se isso incomoda algumas pessoas, então eu gosto mais ainda.”

“Precisamos continuar” é uma fala repetida com frequência em ‘Maze Runner: Prova de Fogo’, e o filme da 2oth Century Fox ocasionalmente viaja por territórios desconhecidos.

“É mais assustador que o primeiro — o segundo ato é como um filme de terror,” contou Dylan O’Brien ao The Hollywood Reporter na premiere do filme em Nova Iorque. Seu personagem, Thomas, lidera um grupo de jovens a escapar de um misterioso labirinto que acaba sendo um experimento cientifico no primeiro filme. Lançado no ano passado e mirando especialmente no publico masculino, a franquia escrita por James Dashner arrecadou $340 milhões em vendas mundialmente.

A sequência — que está sendo exibida nos cinemas também conta com a presença de Giancarlo Esposito e Patricia Clarkson — mostra o grupo explorando o Deserto, um deserto devastado com uma desenfreada praga-infectada, semelhante a zumbis, os homicidas e agressivos cranks que envergonham as gigantes, aranhas robóticas da clareira de ‘Maze Runner’. Mais “viscerais e assustadores” que o autor Dashner diz ter imaginado, esses personagens vilanescos (decorados com próteses e CGI na pós produção) fazem o filme “mais obscuro e assustador do que jamais pensamos que fosse,” disse Dexter Darden. “Mesmo sabendo que eles são dublês, eles continuavam assustadores” disse a novada da franquia, Rosa Salazar, uma declarada fã de filmes de horror, e adicionou, “Eles são f—didos.”

Wes Ball — grande admirador da mistura de gêneros de ação, horror, ficção-cientifica e histórias de sobrevivência como ’28 Dias Depois’ de Danny Boyle e ‘Eu Sou a Lenda’ de Francis Lawrence — explicou os elementos mistos de seu thriller. “Continua sendo um filme de aventura, mas há algumas sequências de ação que estão na beira de ser de horror,” o diretor contou ao The Hollywood Reporter sobre as cenas de descoberta, perseguição e de luta. “Não é apenas uma repetição do primeiro. [… Horror] foi um divertido novo gênero para brincar com esses personagens.”

Ball disse que não estava dirigindo particularmente pelo público jovem — “Eu certamente não fiz [o filme] como algo direcionado para jovens-adultos, eu apenas fiz como um filme, e pessoas jovens estão nele,” disse ele — e o filme escapou por pouco de sua classificação inicial de 16 anos (o filme é classificado como 12 anos).

“Com adolescentes, nós temos que continuar a achar coisas originais,” disse o produtor Wyck Godfrey. “Eles querem coisas que são perigosas e mais assustadoras possíveis, e ainda terem a permissão de assistir ao filme. Nossa audiência do último ano cresceu um pouco, então eles precisam de um filme um pouco mais maduro.” Thomas Brodie-Sangster adicionou, “Está dando aos jovens o respeito que eles merecem.”

Kaya Scodelario dá boas vindas para a variedade de gêneros da sequência, e espera que não seja um caso único. “Nós estamos tão presos a nossos costumes como uma sociedade, especialmente em Hollywood,” ela disse em resposta as criticas confusas. “Tudo é tão unilateral e feito de uma maneira apenas. Ninguém quer ver o mesmo filme pro resto de suas vidas. Eu gosto de que nós estamos fazendo algo diferente, e se isso incomoda algumas pessoas, então eu gosto mais ainda.”

Deixe um comentário
Voltar ao início